Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2014

Desenhos Animados

Michael Paulus gosta de desenhos animados desde pequeno e por isso decidiu fazer um estudo dos esqueletos das personagens mais conhecidas. O resultado é o que se segue abaixo. Ele dá conta das proporções e da estranha fisionomia dos bonecos...


Borracha-nuvem

Sei que não tem nada a ver com nada mas de vez em quando encontro coisas fofinhas na internet e esta não me passou ao lado. Trata-se uma simples borracha mas me forma de nuvem. Linda que só ela. Até eu que raramente utilizo uma borracha gostava de ter esta na minha secretária. Se gosto de ter canetas bonitas por que não uma borracha toda catita?
[Cloud Eraser]




Aventuras na piscina #18

Dez dias longe do pavilhão da Piscina Municipal. Mas foi porque quis porque já tinha tido oportunidade para lá ir mas esteve a chover e a preguiça tomou conta de mim. Shame on me. Hoje lá fui, o sol brilhava e o vento fazia-se sentir. Cinquenta piscinas meus amigos. 50 piscinas completas foi o que aqui a atleta fez. Senti-me uma verdadeira nadadora qual Phelps a ganhar medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos. 
Fui na hora certa, a hora de almoço é quando posso usufruir da piscina por completo sem ser interrompida por aulas ou velhotes ou música da hidroginástica no volume máximo. Hoje a piscina era quase toda para mim. Completava 10 piscinas e descansava um pouco e assim  sucessivamente. Em 70 minutos cheguei às tais 50 piscinas que me fizeram sorrir de orgulho. O meu amigo da natação estava lá e quando lhe contei o que tinha atingido deu-me os parabéns. Ele já ia nas 58 piscinas mas isso não me fez esmorecer. Claro que tenho os músculos todos "lixados", mas fez-me bem. Não sent…

Ghost Stories

Os Coldplay arrebataram o meu coração com este "Ghost Stories", os últimos álbuns deles foram, no meu entender, uma desgraça, mas este é uma delícia que quero ouvir por diversas vezes. Ainda não o ouvi vezes suficientes para decidir qual a minha música rpeferida. O "Midnight" e "Sky full of stars" estão no meu top mas não me consigo decidir por nenhuma.
Há muitos anos que os oiço, houve até Alturas que me deprimiam e depois desisti porque não gostava de nada mas agora a conversa mudou de figura e talvez seja até o álbum do ano. Para já porque a banda do meu coração é The XX e eles ainda não se atreveram a lançar o terceiro álbum...

Há livros que nos ficam no coração #7

Já aqui falei dele e qualquer dia dispensa apresentações. Li o mais recente livro de Oliver Jeffers, o ilustrador de que mais gosto actualmente. A editora Orfeu Negro lançou "O dia em que os lápis desistiram" e é isso mesmo, Duarte um menino que utiliza uma caixa de lápis de cera para colorir os seus desenhos e os lápis acabam por lhe deixar diversas cartas escritas com os seus queixumes. A ilustração do livro é irrepreensível como Jeffers já nos habituou e vamos dando gargalhadas a longo da história. Temos um Amarelo zangado com o Laranja porque Duarte utiliza-os a ambos para pintar o sol e cada um acha que é a cor correcta do astro-rei... Enfim, um livro para crianças que pode muito bem ser lido e adorado por gente crescida.

"Ecstasy"

Irvine Welsh escreveu o livro e o grupo de teatro da Faculdade Nova de Lisboa adaptou-a para peça de teatro. E eu fui ver, claro. Em "Ecstasy" está presente muita cultura pop, muitas drogas, muito sexo e muitas asneiras. O livro já havia sido adaptado ao cinema em 2011, e tem várias histórias paralelas que se vão enredando. Lloyd um viciado em pastilhas procura o amor, Heather é casada com um homem que só pensa no trabalho e ali à volta anda um grupo de jovens meio tresloucados. A peça teve lugar no pátio da FCSH/Nova à noite e o grupo disponibilizou mantinhas polares para os espectadores não tremerem com este frio que se faz sentir em plena primavera. A peça tem muito ritmo, os aspirantes a actores têm jeito para a coisa embora se destaquem realmente apenas alguns. Houve música gira, gente gira, danças sensuais e pessoas quase nuas. Divertido, só é pena já não haver mais pois hoje é a última sessão da peça. Talvez em breve o grupo de teatro da Nova nos surpreenda com algo d…

"O Aldrabão"

Foi ontem ao final da tarde que entrei pela primeira vez na sala Garret do Teatro D. Maria II para ver a peça "O Aldrabão" do romano Plauto, encenada por João Mota. A peça é uma comédia divertida passada num rua de Atenas e conta com a participação de Virgilio Castelo, Rui Mendes, João Ricardo entre outros. Os diálogos têm tiradas divertidas, algumas asneiras à mistura em que ninguém se ofende. E nota-se que a boa-disposição reina entre os actores. Trocadilhos, mal-entendidos e negócios duvidosos são o pão-nosso da peça. Pseudolo é um escravo tenta enganar um chulo ao tentar roubar-lhe uma cortesã amada pelo filho do seu amo e que estava prometida a um soldado. 
A cenografia da peça é simples, os músicos estão no topo da casa no meio de nuvens e nada ali tem efeitos-especiais. Apenas as luzes fazem magia num palco lindissimo como aquele. 
"O Aldrabão" é tida como uma das melhores comédias de Plauto

Para ver até 25 de Maio.

Felicidário

"Se é difícil definir a felicidade aos 20, aos 30 e aos 40, imaginem aos 60 ou aos 70. Foi por isso que nasceu o Felicidário. O Felicidário é um calendário e também é uma espécie de dicionário com 365 definições práticas de felicidade. Aos 65, a felicidade é arrumar as botas e fazer crochet, é gozar o dolce fare niente ou fazer aquilo que nunca se fez? Todos os dias, durante um ano, o Felicidário sugere uma nova ideia de felicidade para maiores de 65 anos." Descubram o Felicidário aqui e escolham a vossa frase preferida.

Nós

Disseram-me que era um espectáculo de artes circenses na Praça do Município, em Lisboa, e eu lá fui entusiasmada. Revelou-se ser a festa de lançamento do Nós (fusão entre Zon e Optimus). O espectáculo tinha bailarinos aéreos (será este o termo correcto), publicidade à mistura, projecções nas paredes dos edifícios circundantes à laia de video-mapping, muito em voga nos dias de hoje, penas e papelinhos atirados do alto das gruas pelos bailarinos cá para baixo, publicidade a filmes... E no final, os espectadores foram surpreendidos com um bonito fogo-de-artifício. Não estava à espera de tudo isto, não sabia muito bem ao que ia mas gostei bastante. Era escusada tanta publicidade, mas como o evento tinha esse propósito só dessa forma é que faria sentido. A noite, para mim, continuou no Bairro Alto, com algumas peripécias ridículas pelo meio, pisar bosta de cão, pagar duas vezes o bilhete do metro porque o telemóvel ficou esquecido no carro, apanhar um táxi porque o metro já não seguia viag…

Simon's Cat

Conheço o Simon's Cat há já uns anos e delicio-me sempre que surgem episódios novos deste gatinho igual a tantos gatos espalhados por este mundo. O meu Sebastião é igual. E este comportamento "louco" é um retrato fiel ao que se passa na realidade. Num minuto está sossegado a lamver-se ou simplesmente sentado à janela e no minuto a seguir corre pela casa fora e atira-se aos nossos pés para que brinquemos com ele.  Quem tem gatos irá reconhecer este comportamento, quem não tem vai achar que os gatos são animais loucos. Estes momentos são divertidos, parecem pequenos cavalos num prado a cavalgar mas é assim que gastam as energias e brincam. Depois, dormem horas seguidas...

Aventuras na piscina #17

Se tinha a cabeça com preocupações do trabalho, assim continuo. Não consegui libertar a mente quando estava a nadar. Não descontraí e foi difícil coordenar os movimentos. Se utilizo a natação como fonte libertadora de stress, hoje falhei completamente. Julgo que o ambiente que hoje se vivia na piscina não ajudou em nada: aula de hidro-ginástica com música alta, as pistas estavam cheias de gente, vulgo velhotes lentos de movimentos, e decorria uma aula de crianças no tanque de aprendizagem e, por fim, a pista 1, onde eu estava, tinha um senhor de idade que ocupava o espaço todo e eu tinha que me encolher sempre que passava por ele. Por sorte ele lá decidiu ir embora e eu fiquei com a pista só para mim mas estava demasiado ruído para que eu conseguisse atingir um momento zen. As manhãs na piscina são demasiado movimentadas para mim. Gosto de lá ir por volta das 14h, no horário de almoço. Ninguém se lembra de ir nadar a seguir a uma refeição.
Hoje a piscina não me satisfez, não me ajudou …

Pirilampos: o relato

Não me lembro de ter estado tão perto e ter ficado tão fascinada por estar tão próxima de pirilampos. Foi numa noite fresca, já hora avançada, que parei o carro num local escuro com uma vista bonita, com as luzes da cidade ao fundo. O tejadilho aberto e uns minutos depois reparei que há luzes a piscar ali perto. Não percebi o que era, pensei em voyeurs mas depressa percebi que se tratava de pirilampos. Que efeito magnífico! Pareciam os flashes de dezenas de máquinas fotográficas a disparar. Nunca me tinha apercebido do seu brilho intermitente. Claro que fui ver imagens de pirilampos à internet e claro que naquela noite não lhes vi as formas. Posso até dizer que são animais feios mas o efeito que provocam é espectacular. Não fazem barulho e assim que nos aproximamos ou fazemos algum ruído afastam-se ou pelo menos deixam de piscar.

Mini-milk

Num dia muito complicado e stressante em termos profissionais é difícil pararrmos e respirarmos para acalmar. Perdemos a fome, ficamos sem paciência mas depois alguém nos obriga a levar as coisas com calma e irmos comer qualquer coisa e até um batom com sabor a mini-milk nos pode trazer o nosso sorriso de volta aos lábios. Foram estes os pormenores que alegraram o meu dia tão cinzento. Creio que dias mais enervantes e exigentes estão para chegar e vou enfrentá-los de frente como aos touros. Eu e o meu novo batom mini-milk.

The Mini Book of Major Events

O ilustrador Evan Lorenzen compilou a história da Terra no livro mais pequeno do mundo e o resultado foi o que se segue abaixo. O livro intitula-se "The Mini Book of Major Events" e é composto por pequenas legendas que acompanham as ilustrações. Podem consultar o trabalho do artista aqui.






Livro da Cor

Cerca de 270 anos antes de ser inventado o sistema de catalogação de cores Pantone (criado em 1963), o holandês A. Boogert descreveu cada tonalidade de cor e elaborou um livro com cerca de 800 páginas. A obra é agora tida como o mais completo guia da cor onde discorre sobre o uso das cores na pintura e a mistura de diversos tons com água. O Livro da Cor, exemplar único, foi descoberto na Biblioteca  Méjanes em Aix-en-Provence, França, pelo historiador Erik Kwakkel. Trata-se de um livro muito actual embora tenha sido criado em 1692. O livro original foi digitalizado e pode ser visto aqui.




[Anda comigo ver os aviões]

Lá fui ao aeroporto esperar uma pessoa. Nos entretantos, estive atenta à porta das chegadas e aos reencontros que tanto gosto de ver. É ali, naqueles momentos, que as pessoas mostram o quanto gostam umas das outras. Casais separados durante algum tempo e que se abraçam e dão beijos apaixonados e saem dali de mãos dadas e a sorrir, filhos que correm para os pais com um dos maiores sorrisos do mundo, senhores de idade que reencontram filhos, enfim, há ali um sem-número de histórias de separações e encontros que me emocionam. Acho mesmo inspirador ver momentos destes. Faz-me querer dizer às pessoas que fazem parte da minha vida que são importantes para mim e que gosto muito delas.

Aventuras na piscina #16

Estava perra. Não nadava há 11 dias e estava já a desejar desesperadamente entrar numa piscina. Hoje foi o dia, finalmente. Não gosto de passar tantos dias longe de água. Senti que estava destreinada. Nos últimos tempos ia duas vezes por semana e por diversos motivos não tive oportunidade de ir. Espero voltar àquele ritmo assim que as minhas folgas estabilizarem. por ser sábado até tive sorte de ter tido uma pista só para mim. Depois tive que me mudar para uma outra pista por causa de uma aula de crianças. Hoje não encontrei lá ninguém conhecido e estar sozinha fez-me bem. Só eu e os meus movimentos. No final desta semana regressarei novamente em força, assim o espero!

Em Maio a Ericeira amanheceu assim...

Num Dia da Mãe solarengo, fomos à Ericeira, vila que já não visitava há algum tempo. Diverti-me a tirar fotos de pormenores que encontrava e vi o mar.




[Um pequeno à-parte]

Não estou a deixar o meu blog ao abandono, só não tenho tido tempo de vir cá. Tenho emails atrasados para ler e responder, vida laboral muito activa e desgastante e o tempo que me sobra serve para descansar, comer e dormir. Não me estou a armar em importante, só estou a desabafar um bocadinho. Tenho a alma cheia e o corpo cansado. Tenho tido dias demasiado cansativos que me deixam de rastos. Nem tenho tido paciência para ler ou ver filmes. Nada de importante tenho feito que valha a pena partilhar aqui no blog. Espero ter notícias fresquinhas durante o fim-de-semana mas não prometo nada. Até breve...

[Um quase private post]

Pediste-me para contar aqui de forma fofinha o que te contei ontem porque achaste piada ao incidente. Pois bem, aqui vai a minha singela tentativa de contadora de pequenas memórias minhas.
Estava a atender uma cliente cuja filha estava ao lado. A menina começa a cochichar ao ouvido da mãe e a senhora olha para mim a sorrir e diz-me:
- A minha filha estava aqui a dizer-me que tem o nome igual ao dela.
- Ah, que giro e o teu último nome tem "P"?
- Não!
- Eu sou Ana Sofia e tu?
- Ana Patrícia...

Esta foi uma simples conversa do dia-a-dia à qual achei piada e contei-te. A menina reparou na plaquinha com o meu nome, foram simpáticas quando muita gente não o consegue ser.

Corações para todos os gostos

Por vezes quando ando pela rua vou tirando fotos com o telemóvel. Nada de especial, apenas vejo algum pormenor que me faz sorrir. É isso que aqui trago hoje. 
Corações grafitados numa parede junto ao miradouro do Torel em Lisboa
Stencil
Um pão que veio para à minha casa e tinha este formato de coração!

Azulejos junto ao metro Baixa-Chiado

O amor é...

...chegar ao carro de manhã e ter um desenho preso no limpa-para brisas. Ficamos com a certeza de que o dia correrá muito bem e começamos logo com um sorriso do tamanho do mundo. <3-te