Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2014

*

Tenho 28 dentes na boca. Normalmente teria 32 mas os sisos foram uma carga de trabalhos pois estavam a empurrar todos os outros e vai daí a dentista lá teve que extraí-los. O que mais me custou foi o nascimento dos malvados. O romper das gengivas doeu horrores. Mascava pastilhas elásticas para fazer passar o desconforto. Parecia um bebé a quem estava a nascer a dentição.
Agora a dentista diz que para eu colocar um aparelho ortodontico tenho que extrair mais 2 pois não tenho espaço na gengiva para endireitar os restantes. Arrranque ela os dela. Eu não arranco mais nenhum dente. Arrancar dentes bons era o que me faltava... Hei-de encontrar um dentista com uma solução milagrosa para endireitar o meu sorriso sem ter que extrair nada. E amanhã lá vou eu novamente para a tortura.
E só tenho a  dizer que o teto dos consultórios deviam ter qualquer coisa que nos abstraísse do desconforto de estar quase 40 minutos de boca aberta...

Crónicas veraneantes

A praia é realmente um mundo distinto. Encontra-se de tudo um pouco, ouvem-se conversas, vêem-se pessoas semi-nuas, leva-se com bolas, come-se areia, lê-se... Enfim, estive lá meia dúzia de horas e venho cheia de coisas para contar.
À hora a que cheguei a uma praia bem conhecida da linha de Cascais, já quase não havia areal para poisar a toalha e os meus singelos pertences. Espremi-me no meio de alguns chapéus e lá consegui deitar-me a escassos centímetros do meu vizinho do lado. Depois foi o rol de acontecimentos que se segue: miudagem com cuecas asa delta em que só se vê bochechas de rabos cheios de celulite e pergunto eu que raio comem estas miúdas adolescentes para terem já pernas e rabos tão mal cuidados...
Rapazes novos a destilarem "azeite", corpos musculados mas depois com tatuagens de gosto duvidoso, mãezinhas a gritarem pelos seus filhotes irrequietos... Crianças que correm e atiram areia para cima de quem está deitado.
O que valeu foi a água fresquinha à qual me ati…

Exposição de tapeçaria - Museu de Tapeçaria de Portalegre

Convido todos a visitar a exposição patente no Museu de Tapeçaria de Portalegre, a mostra resulta de uma parceria entre a Faculdade de Belas Artes e o Museu e promove obras de alunos e professores da disciplina de Tapeçaria. As obras unem elementos contemporâneos com a ancestralidade dos tecidos. Todas as obras têm o elemento natureza bem presente: troncos, pinhas, lãs, etc. Tudo num conjunto bem criativo.
Para além desta exposição temporária é possível visitar a exposição permanente e ver obras de Almada Negreiros, Vieira da Silva, entre outros.

Patente até 30 de novembro em Portalegre. O convite fica feito...

Ponte Romana - Vila Formosa, Portalegre

Ponte Romana, Vila Formosa

Passei um dia inteirinho em Portalegre para ir visitar uma exposição muito especial e, no regresso a casa, passei por Vila Formosa onde existe uma Ponte Romana construída entre os finais do séc. I e inícios do séc. II d.C.
Só visitei esta ponte porque vi uma placa na estrada a indicar o monument. Claro que não resisti e lá virei à esquerda. Gosto sempre de visitor estas pequenas "surpresas".
A ponte tem seis arcos iguais e o tabuleiro com cerca de 6 m de largura é todo calcetado. Por baixo da ponte, a ribeira da Seda pede para molharmos os pés. Não me contentei e atirei-me à água. Ao fim do dia e com o calor que se fazia sentir, a  banhoca soube mesmo bem... A água estava à temperatura ambiente e nem me apetecia sair dali. Só fui embora quando estava já no lusco-fusco.
Esta ponte foi classificada como Monumento Nacional em 1910, e só é possível passar a pé.

[Isto do Amor]

Sabes o que me faz rir, o que me deixa chateada, sabes que se fico com fome começo a rabujar mais do que o costume. Sabes que gosto de dormir a sesta e adoro o sol. Gosto de dormir aninhada e aconchegada. Gosto de chocolate mas que tenho evitado. Sabes qual a minha praia, livro, autores e filmes preferidos. Sabes de cor e salteado que dou nomes às coisas. Gosto de massagens e de cafunés. Sabes que gosto de estar calada de vez em quando, quando estou no meu limite. Sabes que tenho uma colecção muito especial. Sabes que gosto de controlar as situações. Sabes que gosto de viajar e que não gosto nada de conduzir à noite. Sabes que sou esquisita para comer. Sabes que irrito o meu gato quando atrás dele a tentar pegar-lhe ao colo. Sabes que adoro nadar, visitar museus e que não sei cozinhar nada. Sabes que gosto de escrever e de certeza que não sabes que estou a escrever isto. Quando o leres já se devem ter passado semanas. E não faz mal porque não guardo segredos nenhuns, só escrevo o que …

Ladrões com Estilo

Tudo o que saia da cabeça dos irmãos Coen é genial. É o caso destes "Ladrões com Estilo", um remake da versão de 1966. O filme já é de 2012 mas o Cinema ao ar livre da Fábrica da Pólvora passou-o no passado sábado e eu não resisti. Ora, um curador de arte elabora um plano para que o homem mais rico e ambicioso de Inglaterra compre um quadro falso de Monet. O plano não corre como ele deseja e a coisa descamba. O filme tem momentos deliciosos que nos arranca gargalhadas de tão idiota que é. Claro que Cameron Diaz é igual a si mesma, péssima actriz, e Colin Firth, que me convence desde que o vi pela primeira vez.
O cinema ao ar livre na Fábrica da Pólvora continua Agosto dentro aos sábados às 22h caso o bom tempo o permita.

Vhils no Museu da Electricidade

A




Até 5 de Outubro é possível visitar a exposição de Alexandre Farto aka Vhils no Museu da Electricidade. A entrada é gratuita e a mostra é bastante atraente para quem gosta de arte urbana. Vhils mune-se de uma broca, martelo pneumático e esburaca paredes. A sua obra está espalhada por vários países do globo: Japão, EUA, França, Brasil, Reino Unido e tem já milhares de fãs. "Dissecção" é o título desta 1ª  exposição de Farto e são apresentadas obras inéditas de grande dimensão. Na primeira sala podemos ver rostos esculpidos em esferovite. Para isso temos que subir um andaime e BOOM é a primeira grande surpresa da exposição. Depois temos portas "esburacadas" a laser, nelas figuram rostos de anónimos. Podemos também assistir a um vídeo que nos dá a conhecer o trabalho por trás da obra do artista. Não se trata apenas de agarrar uma broca e fazer buracos: há um estudo por trás de tudo isso. Uma equipa que ajuda Vhils a concretizar as suas ideias. Tudo isto numa exposção…

[Apenas um à-parte]

... Só para dizer que a água da praia está completamente gelada. E não há nada que possa fazer para que mude de ideias. Só se eu for para os trópicos...

Aventuras na piscina #21

Eram 10 da manhã já estava enfiada dentro de uma piscina para mais umas voltas... O problema de horas tão adiantadas é as aulas que decorrem de manhã cedo: aulas de crianças e hidroginástica. Além disso ainda tive que dividir a minha pista com uma rapariga que nadava depressa e eu a esmerar-me. Não vou nadar há precisamente 3 semanas e senti que já estou destreinada. Neste tempo todo fui de férias e o bom tempo puxa-me mais para a praia. A ideia não é desleixar-me mas o sol convida-me a andar ao ar livre. Não consegui fazer 50 piscinas como das últimas vezes mas lá irei e recuperarei o tempo perdido.

[Crónicas do dia-a-dia]

Arranjei um livro para ler mas não estou a gostar. Não gosto de me esforçar para terminar de ler um livro. Ler tem que ser um prazer e não uma tortura. Claro que estou a exagerar mas a verdade é que gosto de gostar de ler.
Também abriu perto do meu local de trabalho uma loja "The World needs Nata", ou seja, o cheirinho a pastéis de nata fazem-se sentir a meio da tarde... É isso e os saldos. Já acabavam que era para eu não ficar enamorada por nenhuma peça...

Os Croods

Pela altura do verão a Quinta das Conchas organiza o Cineconchas e ontem à noite sob um vento bem frio lá fui ver o filme de animação "Os Croods" da Dreamworks. Os Croods são uma família que vive na Idade da Pedra e tem que sobreviver às adversidades e às regras do pai da família. O filme centra-se em Eep, uma adolescente que se quer aventurar e que é mantida em segurança e obrigada a conter o seu entusiasmo pela vida. Aí surge Guy, um jovem órfão que sobrevive sozinho e que já descobriu o fogo. Logo aqui se vê a barafunda em que está família está subjugada. Um filme divertido do início ao final. As caçadas, as partidas entre os personagens e as paisagens foram escolhidas a dedo. Apesar de se passar na pré-história, "Os Croods" fala sobre o amor entre pais e filhos, a vivência em família e a amizade.  Ideal para ver em família...

Motion silhouette

São simples coisas destas que me maravilham.




[Coisas de dentista]

Como vou passar os próximos tempos enfiada no dentista para tratar de uns pequenos problemazitos venho analisar a fundo os consultórios dos malfadados médicos. Os tectos deveriam, ter umas pinturas bem mais interessantes para além do "sensaborão" branco. Já para não falar dos candeeiros metálicos que lá colocam sem graça nenhuma.
Aquela coisa de pano (não sei o termo técnico) que os dentistas/médicos colocam sobre a boca deveria ser colorido e com bonecada para o paciente se distrair.
As brocas e toda aquela parafernália deveria ser silenciosa. Quando uma pessoa entra na sala de espera começa a ouvir brocas e fica um bocadinho assustada.
A anestesia deveria ter um qualquer sabor agradável: pastilha elástica, morango, melancia. Qualquer coisa serve... Sabem aquelas pastas de dentes para crianças? Inventem uma coisa desse género.
Façam lá um investimento e ponham cor nesses vossos consultórios. De outra forma, a coisa não tem graça nenhuma.

[Beach please]

É com muito orgulho que informo os meus caros leitores de que regressei às praias portuguesas depois de todo esse mau tempo que se fez sentir nas últimas semanas. Já que praticamente não gozei praia nas minhas férias, é ver-me agora a "lagartar" pelo areal português e a corer para a água como se fosse a última gota do planeta. Quem me conhece sabe bem que adoro água por isso de ora em diante já sabem onde me podem encontrar. Isto se o sol continuar  a sorrir, claro!

A chegada ao Gerês

Cerca de 450 km separam Lisboa do Gerês. Uma quilometragem um bocadinho assustadora para quem tem um carro já a atirar para o velhote e que quer chegar lá através dele. Mas o carro chegou bem e nós também. Cansados de tantas horas ao volante, lá parámos no porto com direito a almoço no Mercado do Bolhão, um passeio pela Av. dos Aliados e pela Ribeira. O sotaque nortenho é do mais giro que temos neste país. De barriga cheia e de vista arregalada, partimos finalmente em direcção ao Parque Nacional Penda-Gerês. Quando nos aproximamos, começamos a ver montanhas verdes e vistas deslumbrantes com o rio lá em baixo. É algo de espectacular.
Tínhamos urgência em descarregar a "tralha" do carro e montar a tenda mas começou a chover e chegados ao acampamento percebemos que a chuva tinha vinda para ficar. Por isso,e  a conselho do dono do parque de campismo, ficámos num bivak: casinha de madeira com apenas colchão. Torna-se mais cómodo que uma tenda porque é mais confortável e não entra …

Há livros que nos ficam no coração #10

"Desencontros" chamou-me a atenção por ser ilustrado de uma ponta à outra. Fala de um rapaz e de uma rapariga extremamente solitários, que não se conhecem.Sempre que saem de casa, ela vira à esquerda e ele à direita. Nunca se encontraram mas vivem lado a lado. À noite, ela ouve o violino dele, brincam com o mesmo gato e beijam a mesma criança. Num feliz aconteciemnto cruzam-se no parque e trocam números de telefone. Mas o destino não está do lado deles. Trata-se de uma história que nos enerva porque eles sentem um  vazio existencial e nada fazem para acabar com ele. Vivem a sua vida sem vontade, à espera que algo de bom aconteça. Nesse feliz encontro, chove e os papéis onde escreveram os números fica esborratado. Passa mais um ano sem se encontrarem, a pensarem oq ue terá acontecido. No dia em que decidem abandonar a cidade encontram-se na paragem de um autocarro....

Portas com estilo

As portas cumprem normalmente uma função: permitir a entrada e a saída de pessoas. no entanto, descobri algumas das portas mais bonitas que andam espalhadas pelo mundo. Cheias de arte:

Montmartre, Paris
Valparaiso, Chile
Burano, Itália
Nova Iorque, EUA
Funchal, Madeira

Sobre acampamentos

Antes de ir acampar, testámos a tenda, os sacos-cama, as lanternas. preparámos mochilas, toalhas, roupa, artigos de primeira necessidade e até o carro teve que passar numa vistoria. Afinal eram 440 km para chegar ao destino.
A ansiedade tomou conta de mim nos dias que antecederam a viagem: ligar para o parque de campismo, fazer uma lista daquilo de que iria necessitar, pedir emprestado uma esteira. Enfim, a lista parecia nunca acabar. 
E a isto juntar o receio de ser "comida" ou "mordida" por algum bicho, barulhos estranhos à noite, vislumbrar algum animal mais feroz, aranhas, insectos... Uf, mesmo na véspera da partida parecia que ainda não me tinha "caído a ficha". E quanto mais falava com amigos sobre algumas dicas indispensáveis para campismo, a preocupação com a alimentação tornou-se numa obsessão. O que é que ia comer? Onde é que ia cozinhar, caso fosse preciso?
Na verdade, quando me deparei com a realidade do local nada me pareceu tão simples... Mas a…

Arte catita

Vários livros publicados, ilustrações criativas, várias exposições. É assim o trabalho de Christoph Niemann. Deixo alguns trabalhos e o seu site.