Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2014

2015 está aí

The Impossible

Não vou mentir, o dia de Natal é excelente para ver filmes e pôr o sono em dia e foi isso que fiz. Depois de uma bela soneca vi o filme: "Impossível" que relata a aventura de uma família na Tailândia quando o tsunami de 26 de Dezembro de 2004 atingiu o resort onde estavam hospedados. Com o caos, acabam separados e todos os elementos tentam reencontrar-se. O filme é um relato fiel à história verídica de uma família espanhola que estava no local aquando do tsunami.
Nos principais papéis temos Naomi Watts e Ewan Mcgregor e seguimos o rasto de destruição deixado, uma história muito comovente, com muitras lágrimas e desespero à nossa espera.

[Desabafos natalícios]

No Natal tudo se complica, as pessoas saem à rua, as estradas têm mais trânsito e  os centros comerciais são um inferno. No meu local de trabalho é um caos. Se todos cooperassem, as estantes permaneciam arrumadas, estava tudo limpo e organizado. Sinceramente não sei como é que naquela desarrumação as pessoas encontram seja o que for. Eu tenho uma enorme dificuldade em encontrar um livro desarrumado e considero ter uma memória visual muito grande mas nestes dias é impossível. 
Todos os dias, depois do fecho da livraria temos ficado 1 hora a arrumar: arrumar coisas tão óbvias. As pessoas deixam livros infantis junto aos livros de Direito, os livros são abandonados por cima de outros livros nas estantes, livros espalhados no chão, livros tombados nas prateleiras, livros com capas tiradas e largadas em qualquer sítio. Há uma imensa falta de respeito e consideração pelo trabalho dos outros e não me venham dizer que deixam tudo no sítio, bem arrumadinho. Sendo assim, por que raio é que as sa…

Quidam by Cirque du Soleil

Na época de Natal o circo volta à cidade e foi isso mesmo que fiz. Fui ver o Cirque du Soleil no Meo Arena. Até ontem via-os sempre na televisão e finalmente pude assistir a um espetáculo ao vivo. Algumas acrobacias deixam-nos com o coração aos saltos e outras são divertidas. Há sempre muito movimento no palco e várias distracções que prendem a nossa atenção. A música é mesmo ao vivo e durante 2 horas os músicos não param. São eles que dão ritmo ao show. Este ano, quando os vir na televisão, vou apontar o dedo e dizer que já os vi e que são mesmo incríveis. Se eu gostava de circo quando era miúda agora todo o conceito se alterou. E por isso é que o Cirque du Soleil é o melhor do mundo. Há ali muita disciplina. O palco joga com todas as acrobacias e podemos ver os artistas em várias pespectivas: o palco é giratório e torna-se sempre imprevisível pois há uma constante modificação. E o que é que podemos ver? Contorcionismo, acrobacias aéreas, equilibrismo, palhaços, afinal são duas horas d…

Esta semana tem sido assim...

"O Fabuloso Desejo de Natal"

O Terreiro do Paço está minado com a magia do Natal. Podemos ver um espetáculo multimedia na fachada dos edificios todos os dias às 19h, 20h, 21h, a duração é de 15 min. e o video simboliza o espirito natalício.
O mais giro de tudo é a pista de gelo cuja entrada também é gratuita. Por 15 min. podemos andar de patins de lâminas no ringue. Eu fui andar e orgulho-me de não ter caído uma única vez. A prática de patins quando era miúda serviu-me para alguma coisa e apesar de ter tido algum receio no início, depois foi ver-me a lançar a altas velocidades pelo meio a pista. Adorei cada minuto que patinei.

Para ver até 23 de Dezembro. Entrada gratuita

Exposição "De matrix à Bela Adormecida"

Fui à inauguração da exposição "De matrix à Bela Adormecida" no MUDE em Lisboa, onde podemos ver os figurinos criados por António Lagarto, cenógrafo, figurinista e artista plástico bem conhecido da nossa praça. A exposição apresenta mais de 300 peças e acessórios usados em diversas peças de teatro e bailado em Portugal. Conseguimos ver todos os pormenores das peças criadas e aqui percebemos a importância da roupa na criação da personagem Uma boa personagem sem bons figurinos parece despida de alma. António Lagarto não trabalha sozinho; tem uma vasta equipa de costureiras e que se esforçam por dar riqueza às peças por si criadas.
Para ver gratuitamente até 29 de Março, 2015


Aventuras na piscina #27

A minha última visita à piscina foi bem divertida. Aprendi de vez a dar cambalhotas sem entrar água pelo nariz. Essa era a minha principal dificuldade e invejava os nadadores que conseguiam dar a volta e continuar a nadar sem parar. Agora chegou a minha vez Já consigo fazer isso! E tenho provas.
No entanto,  acho que os meus novos "goggles" ajudaram. Eu, míope desde pequena, que não vejo quase nada à frente do nariz, debaixo de água pareço ter olhos de lince. Vejo tudo na perfeição. Julguei até tratar-se de um milagre divino mas por qualquer razão a água deve fazer uma compressão qualquer nos olhos que me põe a ver como deve ser... Depois desta explicação milagrosa nunca mais entro dentro de água sem este pequeno acessório.





[ideias]

"Quando os Deuses visitam Bali"

Bali fica na Indonésia mas esta exposição está patente no Museu da Marioneta, em Lisboa. E eu fui lá. A entrada é gratuita e podemos ver inúmeras peças utilizadas em rituais dos povos. O que faz furor nesta mostra são as máscaras usadas em Topengs, teatros dançados. É curioso conhecer a mitologia dos seus deuses e a sua utilização diversificada. Muitas máscaras foram emprestadas por Francisco Capelo, coleccionador e pelo Museu Nacional de Etnologia.

Para ver até 18 de Janeiro.


Esta semana...

Numa semana vi dois filmes que estão a fazer furor pelo mundo fora: "Divergente" e "Maze Runner". Posso dizer que o segundo título me cativou mais. Tive uma espécie de medo a maior parte do filme, por ser tão obscuro, e o final surpreendeu-me pela positiva. Não estava à espera daquilo. Detesto filmes com conversa da treta como há no "Divergente" em que há cenas forçadas entre o par protagonista. Em "Maze Runner" há corrida, muita corrida e nada de romances. Não gosto de romances forçados destinados a fazer sorrir os corações adolescentes que assistem à trama. Gosto de conteúdo, de bom conteúdo. E este filme conseguiu-o. 

Pai Natal, se me estiveres a ouvir...

São apenas uns módicos €25, é de capa dura e é da Editora Educação Nacional. Já namoro este livro há uns anos e não há meio de o ter. Talvez seja este ano!



E neste tempo frio apatece-me pão com chouriço e coisas assim quentinhas...

[Azulejos por Lisboa]

Basta um breve passeio pela capital e damos de caras com belos azulejos nas fachadas mais escondidas. Paasei por Alfama há dias e vi estes belíssimos espécimes...


[Trafaria]

Na margem sul do Tejo existe um cantinho que é muitas vezes esquecido mas que por ser tão próximo do rio nos dá uma vista super privilegiada de Lisboa. Além disso é um local tranquilo por onde se pode passear sem sermos atropelados. Eu prefiro lá ir em dias de sol e foi o que me aconteceu há apenas alguns dias...





"Monstros das Caixas"

Em todas as épocas natalícias surgem filmes de animação que quero sempre ver. Este ano apareceu "Monstros das Caixas" e com um trailer deste calibre cresceu em mim uma vontade imensa de o ver. Já o vi e posso acrescentar que é um conceito diferente daqueles filmes todos fofinhos tipicos do Natal. Aqui os bonecos são estranhos, falam pouco mas mesmo assim conseguem derreter corações. Aqui conta-se a história de uns monstros que vivem nos esgotos e que toda a população abomina. A lenda diz que roubam queijos e crianças. Mas na verdade os monstros são seres que coleccionam lixo mecânico e são uns verdadeiros corações de manteiga. No meio desta comunidade vive um rapaz órfão que acaba por ser o personagem e o herói central quando o exterminador de monstros começa a erradicá-los. "Monstros das Caixas" é ao jeito de "Coraline", uma animação em stop-motion que lhe dá uma qualidade extrema. Este filme é mais destinado a adultos do que a crianças, estas poderão fic…

[Dos dias bons]

Tão bom passar um dia inteiro bem descontraído sem pensar em nada de especial, ter tempo para rir e ser feliz e depois ver ovelhas bebés com pouco mais de 1 mês e vê-las a correr e a tropeçar... E ter uma vista assim desafogada num local que já teve muita gente e que agora está abandonado sem perspectiva nenhuma de ser recuperado mas que mesmo assim sentimo-nos obrigados a olhar e acabamos por nos sentir pequeninos no meio daquela imensidão. 
Parque de Montemor, Loures

Apresento Giorgio di Palma

Ceramics Giorgio di Palma já fez de tudo um pouco. Estudou Arqueologia e arranjou computadores enquanto à noite pintava. De um dia para o outro começou a trabalhar em cerâmica e este é o resultado de todo o seu esforço...

[Ai Zafón, assim matas-me do coração]

Uma pessoa lê tanto e de vez em quando tropeça nestes pequenos milagres da literatura. O espanhol Zafón só me desiludiu com o seu "Jogo do Anjo" porque de resto esta "Marina" está a dar cabo de mim. Confesso que tenho receio de ler a Trilogia da Neblina mas nãos ei se consigo resistir muito mais. Zafón está a tornar-se um dos meus autores preferidos.
Zafón sabe usar as palavras, sabe descrever situações, sabe prender-nos horas a fio na espectativa do que vai acontecer a seguir. Zafón sabe construir personagens e cenários. Sabe usar a linda cidade de Barcelona e transportál-a para as páginas de um livro...

In "Marina"

Aventuras na piscina #26

Para fugir à rotina, fui com mais companheiros à piscina e que divertido foi. Sem o nadador-salvador se aperceber tirámos inumeras fotografias debaixo de água! Temos uma compilação única.... Mas hoje venho falar da importância dos óculos de natação. Eu nunca useí estes óculos pois como vejo mal ao longe nunca os achei necessários até ontem. Ora, para tirar fotografias eu não via muito bem os meus companheiros e, por isso, lá me emprestaram um par e que diferença, meus amigos... Fez-se logo ali luz! Saí da piscina e fui imediatamente a uma loja de desporto adquirir um exemplar para mim! Agora é esperar tempo para ir à piscina estreá-los e posso dizer que estou ansiosa. Agora, uma nova vida se abateu sobre mim. Mesmo com myopia vi logo ali uma diferença. Eu nunca abro os olhos debaixo de água, ou abro  muito raramente. A água nos olhos incomoda-me e cloro nos olhos não é a coisa mais agradável do mundo. Mas agora posso esperar uma significativa mudança na minha visão lá na piscina, aqui…

E chegou Dezembro...