Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Março, 2015

[Cascais, mar e cultura]

No último dia do mês o vento fez-se sentir como nunca e só não levantei voo porque tinha uma mochila às costas. Neste dia ventoso fiquei a saber que desde Outubro do ano passado se paga para entrar na Casa de Histórias da Paula Rego, em Cascais, um absurdo! Não meti lá os pés em prol da teoria que defendo: cultura deveria ser gratuita e quando não é não me façam pagar por uma coisa minúscula que despacho em 15 minutos.
Ora Cascais é feita das fotos que publico aqui em baixo e muito mais. Visitei gratuitamente (ufa) a Fortaleza de Nossa Senhora da Luz e a Torre de Santo António, logo ali na cidadela. Vale muito a pena :)





[Dos dias solarengos]

E ao 30º dia de março de 2015 abri a minha época balnear com um mergulho nas águas gélidas da Praia da Torre deveriam ser uma 17h. 
Quando acordei hoje e depois de quase 4 km passados a correr, mal adivinharia que iria dar um belo mergulho. Mas dei. Fui à praia com um belo sorriso estampado na cara por ter apanhado um tão bonito dia de sol. Minutos depois já com a roupa apropriada fui rapidamente para a água e lá me enchi de coragem. O 1º mergulho já está, venham os próximos :)

[Crónica de uma corredora de 1ª viagem]

Esta manhã corri aí uns 3 km e dou-me completamente esgotada. Corri desde o parque de estacionamento junto ao sapal mesmo ao lado da Ponte Vasco da Gama até ao Oceanário. Corri, quis desistir a meio, andei aí uns 5 metros e o meu companheiro começou logo a puxar-me para eu dar à pernas. Não acho piada nenhuma a correr, nenhuma mesmo. E quando digo nenhuma não estou a ser engraçada. Correr não tem graça mas quem corre sabe que está a dar o seu melhor e sabe que vai vencer os seus próprios limites. Hoje excedi os meus. As dores nos músculos fizeram-se sentir como nunca e o joelho esquerdo não estava nos seus melhores dias. Mas lá fui, desde o estacionamento até à porta do Oceanário. O regresso foi muito mais complicado. Andei em passo rápido a maioria do percurso e se corri 500 metros foi muito. Estava esgotada. Ainda estou mesmo tendo passado tantas horas. 
Correr só é giro em teoria porque quando lá estamos queremos desistir. E desistir para um corredor é um autêntico fracasso, por iss…

"The Big Year"

Descomplicado é assim que adjetivo este "Big Year" de David Frankel conhecido por "O Diabo Veste Prada" e "Marley e eu". Jack Black, Owen Wilson e Steve Martin são o trio que completa este filme que traz a lume uma competição de observação de pássaros.  O filme já é de 2011 mas só agora tive oportunidade de o ver, numa noite em que um filmezinho calhava mesmo bem. Uma história de amizade, viagens, uma grande amizade e centenas de pássaros.  Owen Wilson é o vencedor do Big Year anterior em que foi o participante do jogo que observeu maior número de pássaros mas Jack Black e Steve Martin querem, nesta competição, destroná-lo. Claro que acabam por se envolver em várias peripécias, as suas famílias ficam muitas vezes para trás mas nada os faz desistir. Afinal trata-se de uma oportunidade única de observar aquilo de que tanto gostam: pásaros. Uma comédia divertida para um dia de Primavera!

Sobre a moda dos cabelos coloridos

Nos últimos tempos tenho assistido à moda no que aos cabelos diz respeito: coloridos. Mas em vez de ficarem com umas cores bonitas e realmente vivas, tenho visto muito cabelos verdes e azuis deslavados sem graça nenhuma. Não sei como começou esta tendência mas li algures que os cabelos coloridos viram a luz do dia pela primeira vez em Paris no início do século passado num qualquer artigo de jornal onde se dava uso a cabeleiras azuis.  Claro que é preciso ter a atitude certa para um cabelo rosa ou verde porque senão vai parecer só mal pintado.

Apresento Noel Badges Pugh

Focus

Excluía e passava os primeiros 40 minutos do filme Focus". A acção começam aí mesmo. A partir do momento em que a personagem de Will Smith e o seu grupo enganam um chinês num jogo de futebol americano. Dessa cena em diante o filme leva-nos por um ritmo alucinante em que não podemos ter nada como certo pois há sempre reviravoltas. 
Um filme onde a acção reina e as cenas sucedem-se sem cansar o espectador. O filme mais inesperado que vi este ano. 

Há livros que nos ficam no coração #12

Já tinha lido "O Inverno do Nosso Descontentamento" de John Steinbeck há muitos anos, mais de 10 e há dois dias peguei n'A Pérola reeditado pela Livros do Brasil cheia de esperança. O livro é pequeno, tem apenas 78 páginas e leria num instante para fazer um tempo de espera entre dois policiais de Robert Galbraith.
Ora Steinbeck é um mestre da escrita e "A Pérola" não desiludiu em nada. O livro faz parte do Plano Nacional de Leitura e é com muita pena que vejo os estudantes a porem de parte alguns clássicos. O livro foi editado pela primeira vez em 1972 e é uma fábula encantadora.
O filho de Kino e Juana foi picado por um escorpião e por falta de dinheiro para o tratamento, Kino vai ao mar e encontra a maior pérola de sempre. Mas o azar começa aí e a história é pontuada por pequenos incidentes. Tenta vender a pérola mas esta é tão grande e desajeitada que lhe oferecem um valor mínimo, tentam roubar-lhe a pérola e na sequência de uma luta, mata um homem. Kino, Juan…

[Peninha, Sintra]

Não me lembro de ter ido alguma vez ao Santuária da Peninha em Sintra. Não aproveitei a zona do santuário em si pois o vento era forte demais e o frio impedia tirar as mãos dos bolsos mas a zona envolvente é muito bonita e a vista... Ufff. Só indo e vendo ao vivo. Terei que regressar para tirar melhor partido do local mas deixo as fotos possíveis...




Geocaching no Hospital

Numa curta visita ao Hospital Amadora-Sintra lá apanhei mais uma cache, a 4ª na minha curta carreira de geocacher. E esta é bem original: numa placa de sinalização, uma seringa de plástico com o logbook lá dentro. Quando vi o esconderijo e espreitei a placa ri alegremente: tão fácil!



Relato de uma Mini Maratona de Lisboa

Eram 7h da manhã quando tirei os pezinhos da cama. A prova começava às 10h30 e tinha ainda um longo trajecto até à praça das portagens da Ponte 25 de Abril. Levei comigo duas companhias que participaram na Meia-Maratona, os loucos! Foram 21 km e eles embora pratiquem bastabte desporto não estão habituados a correr estas distâncias exageradas. Eu fiquei-me pelos 7 km à semelhança do ano passado. Desta feita, fiz a prova em passo acelerado e cortei a meta, o cronómetro marcava 1h39 min. Tive tempo para comer um gelado e uma banana no compasso de espera dos "meus" dois atletas.  Um deles fez a prova em 2h e o outro em 3h. Foi a estreia deles na Meia-Maratona e dizem que os últimos quilómetros são extremamente complicados. Comeram laranja e beberam imensa água no decorrer da corrida. Soube hoje da morte de um alemão atleta no Hospital S. Francisco Xavier quando teve problemas ao quilómetro 16 devido aparentemente a problemas cardíacos. É necessário tomar precauções quando se faze…

Paddington

Paddington é um ursinho que veio do Peru para Londres para encontrar o explorador que os seus tios conheceram anos antes. O seu tio morreu num terramoto na floresta onde vivia e a sua tia já velhota foi para um lar de ursos. Assim que chega a Londres, Paddington é interpelado por uma família que o leva para sua casa e o ajnuda a encontrar o tal explorador. Mas uma taxidermista quer o ursinho na sua colecção no Museu de História Natural e Paddington corre perigo de vida. São as aventuras de um carinhoso urso numa cidade frenética.


Geocaching à noite...

Sou a prova viva de que de madrugada é fácil apanhar caches. Aventurei-me já passava da meia-noite deste primeiro dia de primavera chuvoso. Foi basicamente estacionar o carro, ir directa ao lago dos peixes, olhar para cima, ver um objecto cinzento de plástico e puxar. Lá estava ela! Mais fácil não podia haver. Foi a minha 3ª cache! Que vício tão bom...

Das ideias giras...

Uma organização de Direitos Humanos suíça, Terre des Femmes, divulgou uma campanha relacionada com a forma como a mulher é vista de acordo com aquilo que veste. A organização defende os direitos das mulheres e a igualdade entre géneros e já circulam as imagens...


Primavera, finalmente :)

Continua a aventura do Geocaching

Depois de várias tentativas frustradas em diversos locais e após a minha primeira cache, consegui hoje apanhar uma cache no concelho de Sintra junto a uma Igreja Paroquial. Desta feita, foi demasiado fácil e a cache era bem gira: o logbook era mesmo um bloquinho à maneira com espaço suficiente para escrevermos. O container, um taperware, continha vários trackables: isqueiro, flor seca e uma fita verde. Não pude lá deixar nada porque tinha deixado o meu travelbug em casa e não estava a contar andar à procura de caches.
#OPC (Obrigada pela cache)
O esconderijo da cache
Logbook e container

Aventuras na piscina #33

30 piscinas em meia-hora é uma boa média, certo? Foi precisamente o que fiz hoje. Da última vez tinha feito a proeza mas tinha demorado mais tempo. Deve ser da corrida que me está a preparar fisicamente para isto. Fiz mais que 30 piscinas mas acabei por perder a conta. Devo ter feito umas 35, já não sei ao certo. O que conta é o tempo que demoro a atingir o feito. Não sou propriamente rápida a nadar mas a persistência é o meu forte. Quando entro dentro da água penso: vou começar logo para atingir o meu objectivo rapidamente, e assim fiz. Missão cumprida :)

A BRAVE HEART

Yup...

Sarah Kay...

Lembro-me perfeitamente das ilustrações de Sarah Kay, ainda eu era pequena. Recordo-me de ter uns livrinhos de histórias com estes desenhos tão ternurentos. Voltei a encontrar estes bonequinhos numa montra e lembrei-me de postá-los aqui que certamente reconhecerão.

Um passeio pela margem sul

Não subi ao Cristo-Rei mas fiquei no miradouro a olhar Lisboa e a sofrer com o vento gelado que insistia em soprar e o céu cinzento a agourar um dia nada primaveril. Ficam as fotos que tirei e que ilustram bem a beleza do Tejo visto lá de Almada.

Sobre as minhas corridas #1

Não me doem as pernas nem nenhum  músculo do meu frágil corpo! Corri e corri muito. Diminuia o passo quando sentia que já não conseguia dar mais um passo. Já foi há mais de 24 horas que corri junto à praia a ver o mar de uma ponta à outra do paredão e nem uma dorzinha para amostra... Foi a 2ª vez que corri na minha vida. Da primeira vez foi horrível: dores nas pernas durante três dias. Agora aguentei-me bem. É o desporto da moda, é certo. Toda a gente quer correr maratonas ou quanto muito correr só para tonificar músculos  ou aumentar a aptidão cardio-respiratória. Este é o meu caso, mas há também quem queira emagrecer, enfim... posso enumerar um sem-número de benefícios que a corrida nos traz. Eu comecei há pouquíssimo tempo e vamos lá ver se me aguento... Para já estou bastante entusiasmada. É preciso acreditar que conseguimos percorrer um determinado trajecto. É preciso saber que quando queremos conseguimos chegar ao ponto B. É muito difícil quando queremos desistir à primeira difi…

Esculturas em madeira

Peter Demetz esculpe madeira e faz um excelente trabalho. Se eu não tivesse lido que eram esculturas bem que acreditava que seriam fotografias de pessoas reais. Fiquem atentos...




Entretanto, no Rossio...

Até 14 de Março podem encontrar em pleno Rossio a enorme palavra LOVE cheia de cadeados. O projecto é da organização Dê Mais Coração e concebido pelo artista Rui Miragaia. Podemos colocar um cadeado com um coração, iniciativa que faz lembrar a famosa Pont Des Arts em Paris, e escrever uma dedicatória. O cadeado tem o custo de €3 e o dinheiro será revertido para a Dê Mais Coração, associação que apoia o ICOR - Instituto do Coração, em Moçambique, que tem como finalidade ajudar as crianças com doenças cardíacas a ter acesso a cuidados de saúde. Além desta missão, a Dê Mais Coração trabalha também com o propósito de perpetuar a memória da jovem Daniela que faleceu aos 24 anos vítima de uma miopericardite, uma inflamação dos músculos protetores do coração.