Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2015

2016

O último dia do ano sabe sempre a nostalgia. É sempre um dia triste onde fazemos balanços do que nos aconteceu e do que não aconteceu e que deveria ter acontecido. Fiz muita coisa em 2015, aconteceram outras tantas e apenas uma me marcou horrivelmente. Perder pessoas é algo que nos marca mas temos que seguir em frente. Um dia lá nos encontraremos. Eu sigo para 2016 na esperança de que seja mais um ano de mudanças. Boas, de preferência. Sabemos já que a luz, as rendas, os transportes publicos, as portagens, o pão e o ordenado minimo vão aumentar  já amanhã, 1 de janeiro, mas temos que acalentar esperança num mundo melhor, numa vida melhor e em novas oportunidades. 
Não sei o que me espera 2016 mas cá estarei para novas experiências. Vem aí um ano novo com 366 dias limpinhos à nossa espera, como um caderno em branco. E como eu gosto de cadernos novos :)

Reality vs Expectations

A vida pode ser muito traicoeira quando temos as expectativas demasiado elevadas. Aí surge a mais dura das realidades e é isso que Cassandra Calin ilustra: a verdade na vida de qualquer mulher. As suas ilustrações podem ser consultadas aqui



Tempo de cinema

Findo o Natal e antes de entrarmos em 2016 tive tempo para ver dois filmezinhos que já estavam na lista de espera há algum tempo. Falo de Spectre e Perdido em Marte. ora o primeiro é aquele filme típico de ação, com muitas músculos e explosões à mistura. Tratando-se do filme mais caro de sempre na história do cinema eram escusadas as cenas do helicóptero e do desmoronamento de um edifício porque se vê claramente que são digitais e estão a anos luz de serem perfeitas. Para se ver que a cena é falsa mais vale não inclui-la no filme. De resto é um bom filme de ação embora não chegue aos calcanhares de Skyfall, seu antecessor. A Judy Dench faz muita falta aos filmes de 007 e este Christoph Waltz é qualquer coisa de maravilhoso. 



Perdido em Marte era aquele filme que me aconselharem vezes sem conta e que eu muito adiei por se tratar de mais um filme passado no espaço e já estar um bocadinho cansada desta temática. Mas ainda bem que vi porque o enredo está bem construído e a banda sonora é …

[Cascais em dezembro]

E Cascais continua linda mesmo num frio dia de Inverno. Mesmo em dezembro, mesmo com uma tenda horrorosa da pista de gelo em plena Baía, com uma roda gigante e duas feiras de artesanato, Casscais consegue manter a sua beleza.  Cascais é sempre linda. Seja que estação for, esteja frio ou calor. Deixo as minhas imagens...









Peripécias natalícias

Chegou o dia em que na minha mais profunda ingenuidade digo aos meus chefes, porventura duas pessoas simpáticas e até bastante disponíveis, que podíamos ter construído as nossas próprias decorações de natal. Isto porque estava naquele momento a montar um presépio e queixava-me da pobreza das nossas decorações (íamos fazer uma importante festa de Natal) e em voz alto comento que podíamos ter feito qualquer coisa alusiva ao natal: colar flocos de neve nos vidros das grandes janelas ou algo mais alegre e festivo. A Grande Chefe lança uma gargalhada bem sonora, como nunca antes tinha ouvido, e começa a imaginar o Grande Chefe sentado no chão a lidar com tesoura, cola e papel colorido. Fico a pensar que mais valia estar calada porque de seguida pedem-me para envelopar 554 convites. Coisa pouca que me ocupará certamente até ao final do ano.

[Don't date a girl who travels]

She's the one with the messy, unkempt hair colored by the sun. Her skin is now far from fair like it once was. Not even sun kissed. It's burnt with multiple tan lines, wounds and bites here and there. But for every flaw on her skin, she has an interesting story to tell.
Don't date a girl who travels. She is hard to please. The usual dinner-movie date at the mall will suck the life out of her. Her soul craves for new experiences and adventures. She will be unimpressed with your new car and your expensive watch. She would rather climb a rock or jump out of an airplane than hear you brag about it.
Don't date a girl who travels because she will bug you to book a flight every time there's an airline seat sale. She won't party at Republiq. And she will never pay over $100 for Avicii because she knows that one weekend of clubbing is equivalent to one week somewhere far more exciting.
Chances are, she can't hold a steady job. Or she's probably daydreaming about q…

Beautiful stuff

Via: Lustik

How People Laugh Around The World

Via: BoredPanda

Porque vale a pena ler...

"Vais ver que mais dia menos dia, encontras a pessoa certa [...] e nessa altura terás mais confiança em ti . por isso, não faz sentido contentares-te com a coisa pela metade. Nesta vida, há coisas que só se pode fazer sozinho e outras coisas que só se pode fazer a dois. O que importa é conseguir uma boa combinação."In After Dark, Haruki Murakami

*

3 meses, avó. E o céu hoje estava cor-de-rosa. Obrigada.

[Das redes sociais]

Não quero ser escrava das redes sociais e por isso desinstalei o Instagram, há tempos tive Twitter e desfiz-me dele e já tentei desistir do Facebook, mas este é mais complicado porque é lá que me ponho a par dos meus amigos. Ou supostos amigos. E de vídeos engraçados. Não quero que as redes sociais me roubem tempo de qualidade, não quero que me afastem de hobbies como ler, não quero ser aquela que tem o telemóvel em cima da mesa quando estou a tomar uma refeição. Não quero distrair-me das coisas verdadeiramente importantes. 
Quero contrariar a tendência destas gerações. Não quero ser viciada em tecnologias. No telemóvel tenha apenas o Gmail que tem sido o meu grande aliado nesta minha nova vertente profissional, Viber, Skype e Facebook. Nada mais. 

* estar doente não tem graça. Nenhuma.

[visitar museus]

Wentworth-Fitzwilliam. Uma Coleção Inglesa, Gulbenkian
Até 28 de março de 2016 é possível ver a exposição Wentworth-Fitzwilliam. Uma Coleção Inglesa na Gulbenkian, em Lisboa. Foi o que fui fazer numa tarde de dezembro. São 56 obras da autoria de diversos artistas: Van Dyck, Canaletto, Vernet ou George Stubbs conhecido pelas pinturas equestres. Esta é uma coleção particular, iniciada em 1630 por Thomas Wentworth, 1º Conde de Strafford e ministro do Rei Carlos I de Inglaterra. 
Gulbenkian Sir Anthony Van Dyck (1599-1641), 'Thomas, Visconde Wentworth, 1º Conde de Strafford, com Sir Philip Mainwaring', Inglaterra, c. 1639-1640. Óleo sobre tela, 131,8 x 142,9 cm. © Trustees of the Rt. Hone Olive, Countess Fitzwilliam's Chattels Settlement By Permission of Lady Juliet Tadgell

Museu Nacional do Azulejo
Aproveitando as visitas gratuitas no 1º domingo do mês, fui conhecer o Museu Nacional do Azulejo. A par da azulejaria exposta decorre também a exposição temporária "A Arte Interior.…

["La Chienne", Museu da Eletricidade]

Aumentei o calibre das minhas visitas a museus. Depois de ter ido ao Museu do Sexo em Amesterdão que não achei nada chocante, vi a performance "La Chienne" no Museu da Eletricidade, em Lisboa. Foi depois da visita à exposição da coleção de Julião Sarmento com apresentação do curador Delfim Sardo, conhecido no meio da arte, que iniciou o espetáculo para maiores de 18 anos. Achei assim meio paradinho. Uma espécie de Cinderela sofrida atada com uma corda e que no final perde o seu sapato no meio das escadas. O espetáculo tem a duração de 40 minutos mas o público abandonou a sala muito antes do seu término tal era a lentidão da ação da performance. A parte dos voyeurs e da janela estava bem construída com a modelo a olhar diretamente para o seu público. Causa um certo desconforto e o observador (que somos nós) se torna no observado. Esta é a parte mais interessante da peça. 
A entrada era livre mas desconheço se haverá mais espetáculos marcados para breve. 
La Chienne é uma perfor…

Das coisas que importam ver...

Descobri este vídeo há pouquíssimo tempo e além de fazer publicidade à marca Tous, a história é daquelas que vale a pena ver. Um vídeo muito ternurento...


Almoços stressantes

E chegou o dia em que moi-même teve que preparar uma mesa toda pimpona, bem posta, preparar as mesas de apoio, tratar das toalhas, do café, dos açucares e dos guardanapos. Tudo em menos de uma hora. Fiquei em pânico. Na minha cabeça flutuavam de imagens de mesas sobejamente elegantes, bem postas, com tudo direitinho e o que acabei por fazer foi uma coisa bem simples com aquilo que me forneceram. Por isso não valeu a pena estar stressada com uma sala de reuniões que tinha que ser adaptada em pequeno restaurante. 
Valeu pela experiência e venham de lá mais almoços de negócios... I'm ready!

E como se não bastasse, 20 minutos antes de sair do trabalho, fui chamada à Direção com a máxima urgência - coração aos pulos novamente! Que teria feito? Nada, claro. Tive que sair à pressa com dinheiro no bolso, chave do carro do patrão na mão e seguir para o supermercado mais próximo. Havia um encontro de negócios e eu tinha que preparar um lanche. Correu bem e hoje fui posta duplamente à prova.

Sometimes, love can be found in the simplest things..

It’s having those long talks in bed about everything and anything There is nothing more comfortable than falling asleep on your loved one’s lap
It is hugging each other accidentally while sleeping
It’s when you know your favorite cuddling positions
Even the most mundane tasks are more fun when you do them together
Via: Design you trust

"O Principezinho"

Terminei novembro em grande. Ainda não estreou nos cinemas o filme "O Principezinho" e eu já o vi. A adaptação ficou a cargo do realizador Mark Osborne e é uma adaptação muito sensível e delicada. Quem é fã da história vai adorar o enredo, e os próprios bonecos. É assim uma maravilha da sétima arte. Talvez tivesse sido escusado o principezinho crescer mas sei que queriam dar a volta ao final triste tão marcante no livro. Esta adaptação emociona qualquer coração de manteiga e capta a essência da história original.   Não é um filme para crianças pois não vão perceber nem metade do que se pretende transmitir.