Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2017

Praia Doce | Salvaterra de Magos

Nas margens do Rio Tejo encontramos cenários encantadores: a Praia Doce, e Salvaterra de Magos foi uma feliz descoberta. Além de ter sido requalificada em 2005, é agora palco de mergulhos entre os mais pequenos.  Fica a cerca de 70 km de Lisboa (uma horinha de carro) e é possível descansar na zona de piqueniques. Por lá, descobri ainda um recanto à beira do Rio muito apetecível: o Bico da Goiva.


Praia Fluvial de Valada | Cartaxo

Os dias passam num ápice embora ainda consiga desfrutar das minhas tardes livres. Há pouco tempo fui à Praia Fluvial de Valada e os 50 min. que passei em viagem valeram a pena. A praia é pequena mas permite dar uns valentes mergulhos (embora haja um sinal enorme com a informação: "Não Nadar") e estar de molho num dia abrasador vale por ter levantado da cama às 04h!
Foi isso que fiz, durante o tempo que estive na praia estive quase sempre dentro de água. E a praia é linda, bem como a aldeia...



Diário de uma TTAE #6

Conversas de check-in
Conversa #1
Um passageiro com destino ao Funchal:
-Oh menina, acha que as cerejas passam no raio-x? 🍒
-Claro que passam! Ficam todas radioativas mas passam :)



Conversa #2
Sempre que atendo passageiros alemães aproveito a deixa e treino um bocadinho do meu alemão. Mas desta vez foi especial:
Eu - Wie geht es Ihnen? (como estão?)
A senhora satisfeita com o meu interesse, começa a falar muito rápido em alemão e eu respondo em inglês que não havia percebido nada e que tinha apenas aprendido um bocadinho de alemão. Então a passageira falou mais devagar e eu percebi que ela me havia perguntado como é que eu estava. Respondi um parco: "auch gut, danke" (estou bem, obrigada), e, como desavergonhada que sou pedi para ela rabiscar no meu caderninho "have a nice flight" em alemão. E cá está:
- Haben sie einen guten flug!
Expliquei-lhes que tinha ido a Berlim e que tive muito frio porque era inverno e até nevava mas eles iam para Frankfurt, a sua cidade natal.
É …

Pet Portraits

Carmen Hui é uma ilustradora de Sydney e trabalha sobretudo retratos encantadores de animais e botânica. Carmen utiliza grafitte, lápis de cor e aguarela e cria desenhos extremamente delicados. Desenha desde que se lembra e a sua obra já foi referida em inúmeras revistas da área artística. 


Planters and Hanging Planters by Carmen Hui on Etsy

Diário de uma TTAE #5

Conversas de Check-in

Conversa #1
Um Passageiro de t-shirt amarela abeira-se do meu balcão de Check-in e coloca na balança/tapete uma mala enorme da American Tourister (igualzinha ao da imagem de cima) de cor amarela a fazer "conjunto" com a sua t-shirt. Desbocada como sou liberto esta frase:
- I'm in love with your bag!
O Passageiro, italiano, que seguia para Roma, larga um sorriso amarelo e responde: Grazzie, sem saber muito bem como reagir a um tão rasgado elogio.
Despacho a mala e o senhor vai à sua vida.

Conversa #2
Aproximam-se os Santos Populares e esta vossa amiga recém/aprendiz-TTAE despacha uma mala de uma portuguesa já dos seus 70 anos que segue para Frankfurt. Mas ao meu nariz cheirou-lhe muito bem e vai daí meto conversa com a passageira:
- O que é que aí leva que cheira tão bem?
- É um mangerico. Acha que deixam entrar no avião?
- Acho que sim! Ainda por cima vai perfumar a cabine toda! Se a tripulação não deixar, venha cá trazer-mo! Boa viagem!

E é assim. Apesar de t…

"Chocolat"

"Chocolat" é um drama biográfico que nos dá a conhecer o palhaço Rafael Padilla, cujo nome artístico era Chocolat,  nascido em Cuba quando a escravatura ainda era legal.  Em pequeno, foi vendido a um comerciante espanhol que o trouxe para a Europa, ainda na condição de escravo. Já adolescente, depois de anos de maus-tratos, fugiu. Durante algum tempo, acompanhou artistas nos seus números em variados circos, essencialmente por ser negro. Quando chegou a França, foi convidado por Foottit a criar uma dupla de pantomima que teve enorme sucesso. Durante 20 anos protagonizaram números preconceituosos e racistas, tornando-se assim dos mais requisitados. No entanto, o dinheiro fácil, o vício do jogo e a discriminação racial acabaram por afectar a amizade entre os dois, dando início ao declínio da carreira de Padilha. E é isto que "Chocolat" nos mostra com o sempre genial Omar Sy.

Diário de uma TTAE #4

O uso de farda obriga ao uso de collants e eu, mulher com pouca prática no uso deste acessório, vejo-me aflita durante o meu dia de trabalho. Ora um par de collants raramente me dura mais de 2 dias e isso é impraticável já que sou eu que tenho que desembolsar o valor de cada par porque a empresa não as fornece.  Muitas vezes ando com buraquinhos nas collants de forma a tentar poupá-las e só as uso desde que não se veja: dedos, ancas, e até onde a saia o esconda.  Ora o truque nestas situações é o sagrado verniz! O verniz actua como cola e impede que o buraco abra mais. Este truque é extremamente difundido entre pessoas do sexo feminino e até há colegas que já andam com um frasquiho de verniz dentro das malas.  Ali, todas as mulheres têm problemas nas collants. Todas se queixam que já as romperam. E rompem-se com uma facilidade inacreditável: desde o mero "puxar para cima" depois de um xixizinho ou um prender de uma caneta quando nos agachamos para colocar uma etiqueta de uma bag…

34

It was a quite fine day.

Diário de uma TTAE #3

Muito se fala em maquilhagem nas revistas, nos blogues e em conversa com senhoras mas embora encontre diversas perspectivas e conhecimentos sobre o tema, que invejo de forma saudável, não sou pessoa dada a estas coisas nem presto atenção. Não o sou por falta de um interesse que justifique ter um vasto material de "embelezamento facial". No entanto, tenho um estojo com parcos acessórios de maquilhagem que se resume a apenas a: estojo de sombras, corrector de olheiras, lápis de eyeliner e máscara de pestanas. Apenas isto. Nada mais. Uma vergonha para uma mulher!!! Sou mesmo uma desgraça nestas coisas. Nem base nem blush tenho! Por força de algumas circunstâncias da vida tive que andar maquilhada obrigatoriamente quando trabalhava numa loja. Agora, trabalhando para uma companhia aérea tive que adquirir um novo aliado: o Batom. Sendo mesmo obrigatório o uso de duas cores específicas: rosa ou vermelho. Nada de andar com os lábios ao natural, dizem eles!  Ora, para mim o vermelho ch…

Almada Negreiros | Gulbenkian

Isto de ser moderno é como ser elegante: não é uma maneira de vestir mas sim uma maneira de ser. Ser moderno não é fazer a caligrafia moderna, é ser o legítimo descobridor da novidade. José de Almada Negreiros, conferência O Desenho, Madrid 1927

Guardei para o último dia a exposição do Almada Negreiros na Gulbenkian. Esperei na fila cerca de uma hora para entrar, até porque não poderia deixar escapar. Fui no último dia mas fui.  A exposição ocupa dois pisos (afinal são cerca de 400 obras) e desde o famoso retrato de Pessoa a autoretratos, vê-se de tudo inclusive obras que desconhecia. Não sabia, por exemplo que o pintor criava novelas gráficas. Foi também Negreiros que criou o poster do filme "A Canção de Lisboa" e foi beber a tantas outras artes...







Miradouro | Arco da Rua Augusta

Ao deambular pelas ruas da capital lembrei-me de ir ao Miradouro do Arco da Rua Augusta. Ainda não havia subido lá acima e por isso esse dia estava perfeito para me estrear no local. O preço é simbólico: €2,50 por pessoa, sobe-se de elevador e temos uma vista sobre o Terreiro do Paço, a Baixa, a Sé, as Ruínas do Carmo, o Castelo de São Jorge e o Rio Tejo.







Diário de uma TTAE #2

Quando o dia nos correu super mal, já chorámos, os passageiros já gritaram connosco por causa das bagagens, já apanhámos inúmeros voos em overbooking e estamos a ter um dia de cão, a solução é comer chocolate até as veias ficarem entupidas.

"Dois É Uma Família"

Absolutamente brilhante. É assim que classifico "Dois é uma Família" do realizador francês Hugo Gélin. De vez em quando surgem filmes que encontram um cantinho especial no nosso coração e este é certamente um deles.  O actor Omar Sy interpreta Samuel que vive no sul de França, um solteiro sem regras e descontraído. Um dia aparece Christine, uma jovem que traz uma criança nos braços e lhe diz que é sua filha. Samuel não quer acreditar e vai atrás dela até Londres para clarificar a situação. Como não a encontra acaba por educar a menina e criar uma relação muito especial com ela. E assim vivem durante oito anos. Mas Christine reaparece empenhada em recuperar a filha. Aqui tudo se desenrola e o desfecho desolador.

S. Martinho do Porto

Ao ter um dia livre, a minha cabeça começou a magicar ir passear de carro e distanciar-se do distrito de Lisboa. Nestes dias livres gosto de ir conhecer locais desconhecidos e assim foi... Nunca tinha posto os pés em S. Martinho do Porto, e foi desta :) Posso adiantar que é uma terra muito especial. Fiz lá praia, é uma baía em forma de concha que dá acesso direto ao mar e por ali as águas são bem calmas, almocei e ainda tive oportunidade de ir a Salir do Porto, que é logo ali ao lado e até tem um passadiço à beira da praia que dá acesso a esta localidade. 
Em Salir há uma duna gigante que pude subir (e descer a alta velocidade!) e que em tempos foi a maior da Europa: tem aproximadamente 50 m de altitude e 200m de comprimento.






Diário de uma TTAE #1

Os dias passam apressados e começam ainda de madrugada. Entro no meu carro mal o relógio marca as 5 da manhã. Vinte minutos depois estou a chegar ao meu trabalho. Finda a formação teórica enfrento mais um dia de on job training, uma espécie de estágio de preparação para o trabalho on field. Agora a minha vida rege-se por muitas siglas e um inglês que começa a ser cada vez mais a minha segunda língua. Três semanas de prática preparam-nos para o trabalho real. Ando tão assustada como entusiasmada. É possível este sentimento? É.  Posso abrir um bocadinho o véu: entrei para o mundo da aviação, e sirvo uma importante companhia aérea portuguesa. Nada sabia sobre este mundo mas cada dia me embrenho mais e mais e vai-se tornando num vício: agora olho o céu e vejo aviões e a mística a que sempre associei este universo, alterou-se um bocadinho e, a cada dia que passa percebo melhor o seu funcionamento. No início é muito confuso e parece que nunca vou perceber a engrenagem da coisa mas essa sensaçã…